Pedagogia Libertária: uma proposta autogestionária.

A pedagogia libertária é uma proposta com vertentes antiautoritárias, dentre elas o anarquismo, o construtivismo e os professores progressistas. Pensadores anarquistas como James Guillaume, Proudhon, Roorda, Ferrer, Bakunin, entre tantos outros intelectuais, preconizaram a pedagogia libertária como um método de ensino que oferece aos discentes um ambiente livre do autoritarismo, que os professores em determinadas … Continuar lendo Pedagogia Libertária: uma proposta autogestionária.

Homens Abusivos Que Usam do Feminismo Para Conseguirem Imunidade

Texto de Aline Rod. Alguns homens se beneficiam ao usarem do feminismo para conseguirem imunidade. São homens que não diferente de outros abusam de mulheres, porém descobriram que “apoiando” o feminismo eles nunca serão descobertos nem cobrados. São homens que lançam textos sobre feminismo ou discursam feminismo mas nunca tiveram nem de perto a tentativa … Continuar lendo Homens Abusivos Que Usam do Feminismo Para Conseguirem Imunidade

Por que um feminismo negro?

Texto de Mara Gomes Tenho a impressão que essa discussão sobre feminismo, geralmente, se limita apenas a algumas mulheres. Não que seja um feminismo limitado, um feminismo classista, obviamente não, porque a idéia central do feminismo é igualdade, igualdade essa que deve ser de gênero e também entre mulheres. Mas então por que um feminismo … Continuar lendo Por que um feminismo negro?

Nada a esconder, nada a temer

Muitas vezes somos levadas a desconsiderar nossa privacidade, seduzidas por aplicativos e serviços que prometem nos conectar a nossas famílias, amigas e até mesmo nos ajudar a conseguir um trabalho. A impressão é que nos conectamos diretamente com quem queremos conversar ou compartilhar aquele meme. Mas será que nosso comportamento seria o mesmo se fosse … Continuar lendo Nada a esconder, nada a temer

Uma taxonomia da ação

As estratégias e táticas que escolhemos devem ser parte de uma estratégia maior. Isto não é o mesmo que a construção do movimento; derrubar a civilização não requer uma maioria ou um único movimento coerente. Uma grande estratégia é necessariamente diversificada e descentralizada, e irá incluir vários tipos de ações. Uma ação eficaz muitas vezes … Continuar lendo Uma taxonomia da ação

Uma Prática para a Coesão

Anarquistas em geral costumam falar de uma base de princípios – apoio mútuo, autonomia, solidariedade, etc. – que é essa cola mínima que liga as diferentes tendências sob um mesmo nome. Independente das estratégias de ação, seja propaganda, trabalho de base, criação e divulgação de materiais de estudo, uma comuna no mato ou na cidade, … Continuar lendo Uma Prática para a Coesão

Da discordância ao ódio

Como nossa forma de comunicar pode sabotar nossos esforços. Texto de Cachorro Voador. Nas últimas duas décadas nossos costumes avançaram pelo menos um pouco no sentido de aceitação da homossexualidade, na luta contra o racismo, na igualdade de gêneros e no respeito às minorias de forma geral. Agora estamos assustadas com uma onda reacionária que … Continuar lendo Da discordância ao ódio

Organizar a morte do Estado e do Capital, não de pessoas.

Por Facção Fictícia.  “A terrível guilhotina de 1793 que não pode ser acusada nem de preguiça, nem de lentidão, não chegou a destruir a classe nobre na França. (…) E em geral, pode-se dizer que as carnificinas políticas nunca mataram os partidos; mostraram-se, sobretudo, impotentes contra as classes privilegiadas, porque a força reside menos nos … Continuar lendo Organizar a morte do Estado e do Capital, não de pessoas.

Não existe governo revolucionário

Por CrimethInc. Desde a metade do século 19, anarquistas afirmam que a chave para a libertação não é apoderar-se do Estado, mas aboli-lo. Mesmo assim, de Paris a São Petersburgo, de Barcelona a Beijing, geração após geração de revolucionárias teve que aprender essa lição da maneira mais difícil. Tirar e pôr governantes no poder muda … Continuar lendo Não existe governo revolucionário